Presidente da Fiesp tá enrolado: Contas da campanha de Skaf não registram doação da Odebrecht

Segundo a prestação de contas do PMDB nacional, houve em 2014 três repasses da Odebrecht, totalizando R$ 11,3 milhões 16306242

Fonte: Contas da campanha de Skaf não registram doação da Odebrecht | Valor Econômico

Anúncios

Marconi declara incompetência: Em 2018 o eleitor vai analisar editais ao invés de planos de Governo! 

Ana Carla, secretária da fazenda do estado de Goiás declarou que o Governo pretende vender tudo o que for possível e praticamente enterra as chances de José Eliton se eleger sucessor do Tucano chefe.

Estado pretende obter R$ 2 bi para investimentos em obras e serviços para então terceirizá-los; segundo secretária da Fazenda, não há nada que não possa ir para a iniciativa privada incompetentes

Com esta solução para crise, Marconi Perillo reconhece a incompetência do seu Governo que não é capaz de gerir a coisa pública com visão de futuro, depois de perder a CELG e jogar a culpa nos adversários, o Tucano parece ter tomado gosto pela solução mais fácil e dolorosa para o povo goiano. 

Fonte: ‘Tudo que puder, vai ser privatizado’, diz Ana Carla

Cardeais que questionaram Papa podem perder cargo na Igreja

Cardeais que questionaram Papa podem perder cargo na Igreja, Segundo decano, Papa poderia tirar status dos cardeais, Os quatro cardeais que questionaram o papa Francisco sobre sua exortação católica “Amoris Laetitia”, lançada em 8 de abril deste ano e que trata de questões como família e casamento, podem perder seus cargos

Fonte: Cardeais que questionaram Papa podem perder cargo na Igreja – Vaticano – ANSA Brasil

Jogou a toalha! Sem conseguir mostrar a que veio, José Eliton pede para sair da Segurança Pública

Vice-governador encaminhou pedido ao governador Marconi Perillo (PSDB), que fez o anúncio nesta quinta-feira (1º/12)

incompetentesPara muitos o ingresso do Vice-governador na pasta era apenas para que ele tivesse visibilidade diante de desafios tão complexos, pacificar o estado seria uma ótimo cartão de visitas para garantir a indicação como candidato do Governador a sucessão em 2018. Não conseguiu mostrar um bom trabalho e pede sair sem apresentar nenhum dado animador a sociedade.

1-bbb

Tirando uma voltinha na chuva para auto-promoção, José Eliton não conseguiu realizar nada de impacto à frente da Secretária de Segurança Pública do estado de Goiás.

Leia mais… José Eliton deixa Secretaria de Segurança Pública de Goiás – Jornal Opção

Projeto de Paulo Magalhães que diminui recesso parlamentar é aprovado na Câmara Municipal de Goiânia

O projeto que modifica o artigo 76 da LOM- Lei Orgânica do Município, ainda tem que passar por mais uma votação em Plenário para se tornar Lei.

nota

Depois de muita polêmica, em sessão bastante tumultuada, os vereadores aprovaram hoje em primeira votação o projeto do vereador Paulo Magalhães (PSD) que propõe redução do período de recesso parlamentar da Câmara.

O projeto de Emenda à Lei Orgânica, foi apresentado em 14/08/2013 e sofreu várias tentativas de mudança através de emendas apresentadas pelos vereadores, inclusive uma do presidente da Casa, Anselmo Pereira (PSDB) que foi rejeitada na Comissão Mista. A emenda propunha apenas 30 dias de recesso. As sessões deveriam ocorrer de 07 de Janeiro a 16 de Julho e de 1º de Agosto a 22 de Dezembro. Atualmente são 92 dias de recesso, já que o período legislativo começa no dia 15 de Fevereiro e vai até 30 de Junho e de 1º de Agosto a 15 de Dezembro.

A matéria aprovada hoje, foi a proposta original de Magalhães, que reduz o recesso pela metade (46 dias) sendo de 1º de Fevereiro a 15 de Julho e de 1º de Agosto a 31 de Dezembro. Magalhães havia proposto uma emenda substitutiva, passando para 22 de Dezembro o último dia de sessões, para não atrapalhar as comemorações de final de ano. A emenda foi rejeitada hoje em Plenário. Também foi rejeitada proposta do vereador Geovani Antonio (PSDB) que estabelecia recesso de 55 dias, como acontece no Congresso Nacional.

UNÂNIMIDADE

Apesar da polêmica, a proposta de Magalhães foi aprovada por unanimidade dos 24 vereadores presentes. Ninguém se posicionou contra a iniciativa de redução do recesso. Inclusive, o vereador Felisberto Tavares, através de emenda derrotada em Plenário em outra ocasião, já havia proposto o fim do recesso, com sessões acontecendo de 1º de Janeiro a 31 de Dezembro.

Vários vereadores usaram a Tribuna para lembrar que o trabalho dos parlamentares não se restringe ao Plenário, onde acontecem as sessões legislativas e endossaram a declaração do vereador Elias Vaz (PSB) que afirmou que recesso é diferente de férias. “Nós não temos 92 dias de férias, temos recesso dos trabalhos legislativos disse ele, acrescentando que todos os vereadores continuam trabalhando durante o recesso, só que fora da Casa”.

O projeto volta ao Plenário para segunda e última votação após os 10 dias de interstício previstos em Lei. Durante a apreciação ainda podem ser apresentadas emendas modificando o texto aprovado hoje.

por Silvana Brito Martins

Fonte: Câmara aprova diminuição do recesso dos parlamentares — Câmara Municipal de Goiânia