Enfim Nico Rosberg ganha seu primeiro título mundial de Fórmula 1 – TV R

O alemão Nico Rosberg ganhou seu primeiro campeonato mundial de Fórmula Um neste domingo, depois de terminar em segundo lugar no Grand Prix Abu Dhabi, corrida vencida pela outra Mercedes do seu companheiro de equipe Lewis Hamilton.

Depois de todo o suspense e expectativa, a corrida viu Hamilton galgando sua 10ª vitória da temporada, a quarta consecutiva, mas poucos acreditavam que o inglês conquistasse o título, da a vantagem oceânica de Rosberg.

O filho de Keke Rosberg precisava apenas terminar entre os três primeiros para ter a certeza do seu primeiro título, a conquista faz dele o terceiro campeão do seu país depois de Michael Schumacher e Sebastian Vettel.

O título de 1.982 teve como vencedor Keke Rosberg, e pela segunda vez no Mundial de Fórmula 1 pai e filho se tornam campeões da categoria. Os primeiros vieram da Grã-Bretanha, Graham e Damon Hill, detentores do feito até então.

Só agora? Acusado por Calero, Temer agora quer tirar Geddel – A crise já tomou proporção maior

Segundo o blog do jornalista Jorge Bastos Moreno, do GLOBO, amigos de Geddel, após conversarem ontem com Temer, aconselharam o ministro a pedir demissão, alegando que sua situação tornou-se insustentável, principalmente depois que Calero o denunciou à PF.

eto1045-editar

Ao blog, Geddel negou ter sido procurado por ministros para tratar do tema. Atribui as notícias a “assessores palacianos que acreditam que sua saída seja melhor para o governo”.

— Não tenho motivo nenhum para pedir demissão — disse o ministro.

Temer admitiu que se encontrou duas vezes com Calero para tratar do assunto, mas que sua abordagem foi no sentido de tentar “arbitrar conflitos” entre os dois ministros.

Leia mais… Acusado por Calero, Temer agora quer tirar Geddel

Para juiz Sérgio Moro, aprovar anistia a caixa 2 pode prejudicar e até por fim à Lava Jato

7c88a-collor2blava2bjatoA Justiça Federal publicou uma nota pública, na tarde desta quinta-feira (24), com o posicionamento do juiz Sérgio Moro, que cuida dos casos envolvendo a operação Lava Jato, sobre a votação do projeto de anistia de crimes eleitorais, corrupção e lavagem de dinheiro, na Câmara dos Deputados.

“Tem-se a esperança de que nossos representantes eleitos, zelosos de suas elevadas responsabilidades, não aprovarão medida dessa natureza.”

O juiz afirma que “toda anistia é questionável, pois estimula o desprezo à lei e gera desconfiança. Então, deve ser prévia e amplamente discutida com a população e deve ser objeto de intensa deliberação parlamentar”.

Ao mesmo tempo, Moro critica a possibilidade de benefícios a condutas irregulares.

operaca-lava-jato

“Preocupa, em especial, a possibilidade de que, a pretexto de anistiar doações eleitorais não registradas, sejam igualmente beneficiadas condutas de corrupção e de lavagem de dinheiro praticadas na forma de doações eleitorais, registradas ou não”, diz o juiz, prevendo impactos à Lava Jato.

“Anistiar condutas de corrupção e de lavagem impactaria não só as investigações e os processos já julgados no âmbito da operação Lava Jato, mas a integridade e a credibilidade, interna e externa, do Estado de Direito e da democracia brasileira, com consequências imprevisíveis para o futuro do país.”

A Câmara dos Deputados aprovou no início da tarde de hoje um pedido de urgência para a votação do projeto de lei com as chamadas medidas anticorrupção. Votaram a favor 312 deputados, 65 votaram contra e 2 se abstiveram.

Com a aprovação da urgência, o projeto deve ser votado ainda nesta quinta-feira.

Deputados articulam para que a anistia seja incluída no texto que será analisado pela Câmara. O caixa dois é o recebimento de doações eleitorais não declaradas à Justiça.

Fonte: Para juiz Sérgio Moro, aprovar anistia a caixa 2 pode prejudicar Lava Jato – Notícias – Política

Procuradoria pede reforço da PF após ameaças a investigadores do caso Garotinho

O pedido ocorre após serem relatadas ameaças aos promotores e ao juiz da 100ª Zona Eleitoral de Campos

“A situação de Campos é gravíssima e exige esforços conjuntos de todos os órgãos de perseguição e do Judiciário”, afirma o procurador regional eleitoral Sidney Madruga.

Ele encaminhou um ofício à Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE), em Brasília, pedindo que o Ministério da Justiça tome ciência, por meio do vice-procurador geral eleitoral Nicolao Dino, de “recentes casos de possível ameaça à segurança dos titulares da 100ª Promotoria Eleitoral e da 100ª Zona Eleitoral”, diz a nota divulgada nesta segunda-feira, 21, pela Procuradoria.

No ofício à PGE, é solicitado que o vice-procurador-geral eleitoral também informe aos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) os fatos graves reportados pelo promotor e pelo juiz em Campos.

O pedido é mais um episódio envolvendo a prisão de Garotinho, suspeito de liderar um esquema de compra de votos para vereadores e candidatos aliados a ele em Campos por meio do programa Cheque Cidadão – que prevê o benefício de R$ 200 mensais a famílias carentes e teria sido desvirtuado pelo grupo de Garotinho.

PMs do Choque que aderiram a protesto no Rio devem ser presos

Dois policiais que atuavam para conter ato abandonaram o trabalho e foram ovacionados pelos manifestantes

Um vídeo com imagens do protesto de servidores públicos contra o pacote anticrise do governo do estado do Rio de Janeiro ganhou as redes sociais nesta quarta-feira, 16.

Na imagem produzida e postada no Facebook pelo estudante de comunicação Julio Trindade, dois policiais militares do Batalhão de Choque que atuavam para conter o protesto abandonaram o trabalho e se juntaram aos manifestantes.

Segundo uma fonte, os PMs serão identificados e punidos com prisão administrativa. A assessoria de imprensa da Polícia Militar não confirma a informação de uma possível prisão, mas informa que irá analisar as imagens para verificar a situação.

Fonte: PMs do Choque que aderiram a protesto no Rio devem ser presos – Economia – Estadão

Contrário ao Uber Paulo Magalhães diz que Taxistas escolheram “o lado certo” ao apoiar Iris Rezende

Paulo Magalhães afirmou que o prefeito eleito “dá valor” ao trabalho dos permissionários de táxi de Goiânia

1-aa

Durante seu discurso, Paulo Magalhães fez questão de “parabenizar” os taxistas por terem apoiado Iris Rezende (PMDB) — eleito em segundo turno — para prefeito e Goiânia. “Escolheram o lado certo, é a pessoa que dá valor no trabalho de vocês”, afirmou aos manifestantes presentes.

O plenário da Câmara tinha aprovado em 30/06, por 17 votos a 2, o requerimento do vereador Thiago Albernaz (PSDB), em que solicita de Paulo Garcia, a assinatura de uma licença temporária para que o Uber funcione em Goiânia até que seja feita a regulamentação desse serviço.

O projeto que já foi aprovado na CCJ e aguarda apreciação do plenário define que o transporte individual fique restrito a veículos cadastrados e autorizados com profissionais credenciados junto ao órgão competente que rege o serviço de táxi da capital.

Em Junho votaram contra os vereadores Paulo Magalhães (PSD) e Pedro Azulão Jr (PSB).

“Nunca deixei de apoiar os taxistas, pessoas veem as pingas que vocês bebem mas não veem os tombos que levam. Então, conte com meu voto, sempre. Uber para funcionar tem que ter responsabilidade e pagar impostos”, discursou.

Leia mais… Contra o Uber, vereador diz que taxistas escolheram “o lado certo” ao apoiarem Iris Rezende – Jornal Opção

.

Liminar determina bloqueio de bens de ex-dirigentes do SindiGoiânia

930d6-qbO juiz Átila Naves Amaral decretou a indisponibilidade dos bens móveis e imóveis de Mauro Zica Júnior, Carlos Antônio Ramos de Alencar e Sandro Pereira Valverde, ex-membros da diretoria do Sindicato dos Trabalhadores de Goiânia (SindiGoiânia) em valor até R$ 24.195.622,32. Também foi decretada a indisponibilidade dos bens para Maria Aparecida Alves de Jesus Alencar, Sandra Maria Silveira Zica, Ana Tereza Silveira Zica, Mauro Zica Neto, Samyra Pereira Valverde, Leandro Silva Valverde, Silvana do Carmo e Silva, Osvaldo Rocha Conceição, Noicy Pessoa e Sávio Borges Silveira, supostos beneficiários.

Conforme aponta a ação do Ministério Público de Goiás, proposta pelo promotor de Justiça Fernando Krebs, entre 2007 e 2005, Mauro Zica, Carlos Antônio e Sandro Pereira se revezaram na direção do sindicato e tiveram uma evolução patrimonial incompatível com a renda que auferiam. Mesmo recebendo os salários a título de cargo público, os três adquiriram imóveis em regiões nobres, carros de luxo e fizeram viagens nacionais e internacionais, o que foi comprovado por escutas telefônicas feitas pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco).

Mauro Zica, Carlos Antônio e Sandro Pereira, de acordo com a ação, teriam contado com a ajuda de Silvana Silva e Osvaldo Conceição, que eram responsáveis por retirar os valores da conta do sindicato. Além disso, os ex-diretores teriam utilizados o SindiGoiânia para empregar e beneficiar seus familiares, que foram favorecidos também pelo desvio de dinheiro das contribuições.

Para o juiz, as investigações realizadas tanto pelo MP quanto pelo Ministério Público Federal e a Draco comprovam que os acionados mantiveram padrão de vida incompatível com o salário que auferiram. Assim, de forma a garantir um possível ressarcimento do dano, em caso de condenação por improbidade administrativa, o juiz deferiu o pedido do MP e decretou a indisponibilidade de bens. Para o caso de pagamento de multa civil, determinou o valor do bloqueio em R$ 24.195.622,32.